Na comemoração do seu 16º aniversário
Milonga D’ A Barraca junta o tango argentino ao fado português


Milonga D’A Barraca, a milonga mais antiga de Portugal, festeja o seu 16º aniversário no próximo dia 5 de julho, no Teatro da Barraca, em Santos, com uma noite especial de tango que conta com a presença de conceituados fadistas e músicos portugueses.
Pedro Moutinho, distinguido em 2008 com o Prémio Amália Rodrigues para Melhor Álbum, é um dos grandes nomes do fado confirmados para este evento. Juntam-se a esta noite, outros fadistas como Miguel Ramos, Maria Amélia Proença, Sandra Correia e, ainda, a jovem revelação do fado português, Teresinha Landeiro. A partilhar o palco encontra-se, ainda, uma seleção de conceituados músicos, como Carlos Proença (Viola de Fado), João Penedo (Contrabaixo), Pedro de Castro e Eurico Machado (Guitarra Portuguesa).
Para Alejandro Laguna, fundador da Milonga D’A Barraca, “neste 16º aniversário procurámos destacar uma das principais características desta nossa milonga: a comunhão entre o tradicional tango de Buenos Aires e o fado português”.

Sobre a Milonga d’A Barraca:
A mais antiga de Portugal e uma das mais antigas da Europa. Fundada, em 1999, por Alejandro Laguna, originário de Buenos Aires, e por Solange Galvão, proveniente do Porto. Destaca-se pela promoção do tango social de Buenos Aires e pela sua coerência nos valores que transmite aos seus participantes, enfatizando o sentido íntimo do abraço, da música e a celebração social da milonga como centro do tango. A Milonga d’ A Barraca carateriza-se pela sua fidelidade ao tango tradicional e pela sua comunhão com o tradicional fado Português. Uma ideia originalmente pensada e desenvolvida pelo bailarino e professor Alejandro Laguna, que tem conquistado a atenção de alguns dos fadistas mais conceituados em Portugal.

dialogue